header top bar

section content

VÍDEO: Neguinho diz que escândalo de arbitragem e dívidas motivaram renúncia da diretoria do Atlético

O vereador afirma que a diretoria não está envolvida no esquema de compra de resultados do Paraibano. Mas admite que o escândalo também motivou a saída

Por Jocivan Pinheiro

17/05/2018 às 15h53

O vereador Neguinho do Mondrian convocou uma coletiva de imprensa nesta quinta (17) para justificar publicamente por que ele e seu irmão, Harley Lira, estão deixando a diretoria de futebol e a presidência, respectivamente, do Atlético de Cajazeiras.

Neguinho afirma que a diretoria do clube não está envolvida no esquema de compra de resultados do Campeonato Paraibano que virou destaque nos principais jornais do Brasil. Mas admite que o escândalo também motivou a saída porque não há mais credibilidade no futebol paraibano.

“Desmotiva você investir, correr atrás, bater na porta de um patrocinador, tentar conseguir recursos para colocar um time do interior da Paraíba para participar do Campeonato Paraibano visando uma Série D, uma Série B [do Campeonato Brasileiro], uma Copa do Nordeste, que era um sonho que nós tínhamos de colocar a cidade de Cajazeiras no cenário nacional com o Atlético e infelizmente não conseguimos”, disse.

Dívidas

Outro fator que motivou as renúncias foram as dívidas trabalhistas do Atlético. Neguinho do Mondrian conta que a gestão ainda conseguiu pagar algumas, mas ainda faltam muitos acertos.

VEJA TAMBÉMHarley renuncia à presidência do Atlético e quem assume é o Conselho Deliberativo

Harley Lira, irmão de Neguinho, renunciou à presidência do Atlético

Retrospecto

Em pouco mais de um ano e meio à frente do Atlético, Neguinho e Harley tiveram bons e maus momentos. Já no primeiro ano de gestão, conseguiram levar o Trovão Azul do Sertão à semifinal do Campeonato Paraibano em 2016. Mas no quadrangular final foram eliminados pelo Botafogo-PB e também perderam a vaga na Série D do Brasileirão. Neguinho, inclusive, acredita que houve manipulação no confronto entre Botafogo-PB e Treze que tirou a vaga do Trovão.

Por outro lado, na temporada 2017 os investimentos em contratações e estrutura foram maiores, mas em campo o time brigou para não cair para a segunda divisão do estadual, escapando no chamado “quadrangular da morte”.

“Não me arrependo de ter assumido o Atlético. Faria tudo novamente. A mágoa não é de não ter conseguido lograr êxito. Mas o campeonato nessa situação que foi exposta, realmente não tinha como a gente conseguir resultado favorável, principalmente a gente que é do Sertão”, salientou.

DIÁRIO ESPORTIVO

“Boca Quente” fala sobre Nilvan, Josival, Gutemberg e narra fato que mais lhe chamou atenção na área policial

PROGRAMA XEQUE-MATE

VÍDEO: Padre e missionários falam sobre recuperação de dependentes químicos na região de Cajazeiras

DIÁRIO ESPORTIVO

Ao lado de grandes nomes da imprensa, Diário Esportivo debate as rodadas da Série C e D do Paraibano

PARTIU PARA O ATAQUE

VÍDEO: Júnior Araújo diz que José Aldemir vai perseguir servidores que não apoiarem campanha de Paula