header top bar

section content

Após áudio, Lionaldo Santos vê conversa como normal e descarta ligação com a FPF

Um dia após reportagem, presidente do TJDF-PB procura a TV Cabo Branco e explica telefonema para Amadeu Rodrigues. Ele ratifica que não estava pedindo qualquer orientação.

Por Globo Esporte PB

18/05/2018 às 09h30

Foto: Reprodução/TV Cabo Branco

O presidente do Tribunal de Justiça Desportiva da Paraíba (TJDF-PB) procurou na última quinta-feira a produção da TV Cabo Branco para dar a sua versão da reportagem exibida no Globo Esporte um dia antes. Nela, ele aparece conversando com o presidente da Federação Paraibana de Futebol (FPF), Amadeu Rodrigues sobre a sessão que julgaria o recurso do Botafogo-PB pedindo para ter vantagem na semifinal do Campeonato Paraibano.

No áudio, que faz parte do processo da Polícia Civil que investiga o suposto esquema de corrupção e manipulação de resultados do estadual, Lionaldo pede uma “sugestão” para Amadeu, que por sua vez pede para seguir o voto do relator Francisco Serpa – rejeitando a tese do Botafogo-PB e determinando que seria o Treze a ter a vantagem na semifinal.

Em entrevista ao jornalista Kako Marques, do Globo Esporte, Lionaldo vê a conversa entre ele e Amadeu como “normal” entre dois presidentes de poderes e acrescenta que o motivo da ligação sequer foi o julgamento.

– Toda aquela gravação que existe eu não estou acertando ou combinando nada com o presidente da Federação e creio que ele também não esteja combinando nada comigo. Ele estava fazendo um desabafo. (Lionaldo Santos, presidente do TJDF-PB).

O presidente do TJDF-PB alega que o motivo da ligação teria sido para conversar sobre a conduta do advogado do Treze. Na semana do julgamento, o Galo fazia muita pressão nos bastidores, depois do próprio Tribunal ter adiado a primeira partida da semifinal contra o Botafogo-PB.

– Eu estava me reportando ao advogado do Treze, em que ele disse que iria abrir a caixa preta contra este modesto presidente. Não se pode advogar sem ética e tentando prejudicar as pessoas que estão no Tribunal.

Para reforçar a tese de que não houve qualquer dolo, Lionaldo lembra que os auditores do Tribunal são independentes e conhecedores da legislação desportiva. Por isso, não havia como uma ligação entre presidentes influenciar o resultado do julgamento.

– Não poderia (influenciar) de forma alguma. São nove membros (auditores do TJDF-PB) e mais o procurador geral. E são pessoas íntegras e que conhecem o direito desportivo como ninguém. É impossível que o presidente da Federação possa influenciar nove membros e mais o procurador geral, como também é impossível para o presidente do TJDF influenciar os auditores. São pessoas calejadas e que conhecem o direito como um todo. É impossível dizer que há uma combinação entre Tribunal e Federação, e ainda mais entre Amadeu e Lionaldo – reforçou.

Por fim, Lionaldo também explicou o porquê da coletiva convocada por Amadeu Rodrigues ter sido realizada na sala do Tribunal de Justiça Desportiva.

– Na Federação não há um local adequado para grandes reuniões. Em regra essas reuniões são feitas no Pleno do Tribunal. Isso não dá nenhuma conotação de amizade entre a FPF e o Tribunal concluiu o presidente do TJDF-PB.

Fonte: https://globoesporte.globo.com/pb/noticia/apos-audio-lionaldo-santos-ve-conversa-como-normal-e-descarta-ligacao-com-a-fpf.ghtml

SE POSICIONANDO

Líder católico de Cajazeiras grava vídeo fazendo apelo para não votarem em Bolsonaro “pelo amor de Deus”

GOVERNADOR ELEITO

VÍDEO: Em entrevista exclusiva, João Azevêdo agradece Sertão pela vitória e revela planos para a região

ENTREVISTA ESPECIAL

DIA DO MÉDICO: Um dos médicos mais respeitados de Cajazeiras relata fatos marcantes do seu ‘sacerdócio’

RESULTADOS MARCANTES

VÍDEO: Na capital, jornalista cajazeirense avalia vitória de Azevêdo e derrota de Cássio: “Foi um marco”