header top bar

section content

Jeová Campos comenta detalhes do projeto de lei que prevê redução da mensalidade escolar na Paraíba

Jeová lembrou ainda que muitos pais de alunos não vão ter condições, inclusive, de pagar as mensalidades mesmo com descontos

Por José Dias Neto

06/05/2020 às 15h40

Sessão remota da ALPB

O deputado estadual Jeová Campos votou a favor, durante sessão remota da Assembleia Legislativa da Paraíba, do projeto de lei nº 1.696/2020 que prevê desconto na mensalidade escolar em decorrência da pandemia do novo coronavírus.

“Sobre o ponto de vista do Direito, eu tenho dúvidas sobre a eficácia ou não da norma que estamos a adotar, mas, considerando a realidade excepcional deste momento, já que nós não estamos votando uma matéria em situação normal, estamos votando num momento de excepcionalidade, por isso, meu voto é favorável”, disse o parlamentar.

VEJA MAIS:

Assembleia aprova lei para reduzir mensalidade escolar durante pandemia do novo coronavírus na Paraíba

A matéria foi aprovada por maioria de votos, com emenda.

O texto, de autoria dos deputados Ricardo Barbosa, Adriano Galdino, Lindolfo Pires e Estela Bezerra, dispõe sobre a repactuação provisória e o reequilíbrio dos contratos de consumo educacionais nas escolas de ensino infantil, fundamental e médio, universidades e cursos pré-vestibulares, em razão da não realização de aulas presenciais ocasionada pela pandemia do COVID-19.

Na opinião de Jeová, o ideal era que o PL contemplasse a realização de convenções escolares, para que as medidas adotadas saíssem de um consenso da comunidade escolar. “Meu voto foi favorável em função da excepcionalidade deste momento, mas, quero reiterar que se eu tivesse sido o autor deste projeto, eu teria incluído nele a proposta da realização de uma convenção com pais, alunos direção e funcionários das escolas para que esse debate e suas definições de dessem de maneira mais próxima da realidade de cada estabelecimento”, afirmou o parlamentar.

Ele lembrou que decisões oriundas de uma convenção escolar, levaria em consideração as particularidades dos estabelecimentos, levando em consideração a realidade de cada um. “É preciso ter um olhar casos a caso. O princípio da equidade destaca que cada terreno tem sua amordação, assim, cada escola tem uma realidade diferente, mas, como se trata de uma norma de conceito geral e que precisa de uma certa celeridade para ser definida, meu voto foi pela aprovação da matéria”, reiterou ele.

Jeová lembrou ainda que muitos pais de alunos não vão ter condições, inclusive, de pagar as mensalidades mesmo com descontos.

“É o caso dos autônomos e comerciantes, por exemplo, que estão extremamente prejudicados com a queda dos negócios e, em muitos casos, até com a impossibilidade de exercerem suas atividades. Esse é um cenário difícil para todo mundo”, finalizou o parlamentar.

PORTAL DIÁRIO

GUERREIRA

Lágrimas e aplausos marcam últimas homenagens para enfermeira que morreu com COVID-19 em Cajazeiras

BRIGA INTERNA

VÍDEO – PSL rachado: Cabo Gilberto diz que Julian Lemos usou Bolsonaro para se eleger e depois o traiu

SOBRE VÍDEO POLÊMICO

VÍDEO: Dra. Paula diz que grupo de Santiago anunciou apoio de Daniella porque está ‘morrendo afogado’

PREFEITO DE SÃO FRANCISCO

VÍDEO: João Bosco quebra o silêncio sobre rompimento com ex-prefeito: “Sentimento é de decepção”

Recomendado pelo Google:
error: Alerta: Conteudo Protegido !!