header top bar

section content

Queda de avião deixa 157 mortos, segundo a companhia aérea

Aeronave caiu 6 minutos após decolar neste domingo com destino a Nairobi, no Quênia; não havia brasileiros entre os passageiros, segundo o Itamaraty.

Por G1

10/03/2019 às 12h33

Local onde caiu avião na Etiópia ; acidente deixou 157 mortos, segundo a Ethiopian Airlines (Foto: Tiksa Negeri/Reuters0

Um avião da Ethiopian Airlines, que voava da capital da Etiópia, Adis Abeba, para Nairobi, no Quênia, caiu neste domingo (10) com 157 pessoas a bordo. Não há sobreviventes, e as causas do acidente ainda são desconhecidas.

Segundo informações do presidente da companhia, Tewolde G Medhin, o piloto relatou dificuldades técnicas durante o voo e pediu para regressar a Adis Abeba. Os controladores, então, “autorizaram-no” a dar meia-volta e retornar, relatou Medhin.

O que se sabe até agora:

O avião perdeu contato 6 minutos após decolar
A aeronave decolou às 8h44 (horário local)
157 pessoas estavam a bordo do avião, sendo 149 passageiros e 8 tripulantes
Piloto relatou dificuldades técnicas e foi autorizado a retornar
Segundo a empresa, não há sobreviventes
Passageiros de mais de 30 países estavam a bordo; não havia brasileiros
Modelo do avião era o mesmo que caiu na Indonésia em 2018
O avião levava 149 passageiros e 8 tripulantes. Segundo lista divulgada pela companhia, havia passageiros de 36 nacionalidades diferentes. O Brasil não está incluso. Em nota, o Itamaraty confirmou que “não foram identificados brasileiros na lista de passageiros”.

A maioria dos passageiros eram quenianos. “O mais afetado, como vocês devem imaginar, é o Quênia, com 32 passageiros a bordo dos 149”, comentou o ministro dos transportes queniano, James Macharia, em entrevista coletiva.

Dados da rede Flightradar24 ADS-B mostraram que a velocidade vertical da aeronave ficou instável depois da decolagem. As causas do acidente estão sendo investigadas.

Por meio de nota, a Ethiopian Airlines afirmou que o voo ET 302 caiu perto da cidade de Bishoftu, 62 km a sudeste da capital Adis Abeba, seis minutos após decolar. Ainda segundo a empresa, o avião era um Boeing 737-800 MAX, número de registro ET-AVJ.

Pedaço da fuselagem do avião é visto no local do acidente (Foto: Tiksa Neger/Reuters)

A possibilidade de se tratar de um ataque terrorista chegou a ser cogitada, mas foi descartada pelas autoridades em seguida. A agência France Presse destaca que as condições meteorológicas eram boas neste domingo pela manhã na capital etíope.

O piloto tinha mais de 8 mil horas de voo, disseram autoridades da companhia em conferência de imprensa.

Em entrevista à Globonews, o engenheiro aeronáutico Jorge Leal Medeiros, professor da Poli/USP, apontou que “é muito cedo para dizer qualquer coisa sobre a causa do acidente”. “Pode ter acontecido alguma falha no motor, não se sabe”, disse ele, mas destacou que o aeroporto do qual o avião decolou “fica numa região muito envolvida por montanhas”.

Vítimas
No aeroporto de Nairóbi, no Quênia, muitos parentes de passageiros estavam esperando no portão, sem informações das autoridades aeroportuárias. Autoridades da companhia disseram que montaram centros de emergência em Nairobi e no aeroporto de Adis Abeba para atender aos familiares das vítimas.

“Estamos apenas esperando pela minha mãe. Só estamos esperando que ela tenha pegado um voo diferente ou esteja atrasada. Ela não está atendendo o telefone”, disse Wendy Otieno à agência de notícias Reuters, segurando o telefone e chorando.

Robert Mutanda, de 46 anos, esperava que seu cunhado viesse do Canadá. “Não, nós não vimos ninguém da companhia aérea ou do aeroporto”, disse ele também à Reuters, mais de três horas após a perda de contato com o voo. “Ninguém nos disse nada, estamos apenas aqui esperando o melhor.”

O escritório do primeiro-ministro etíope, Aby Ahmed enviou condolências aos familiares em mensagem postada no Twitter.

Acidente com avião na Etiópia deixa 157 mortos

A companhia
A Ethiopian Airlines é uma empresa estatal etíope, e uma das maiores transportadoras do continente em tamanho de frota. Sua frota tem mais de 100 aeronaves. No ano passado, transportou 10,6 milhões de passageiros. A Boeing, empresa que construiu o avião, disse no Twitter que está “monitorando a situação de perto”.

A aeronave 737 Max-8 é um modelo relativamente novo, que começou a operar em 2017. Foi adicionado à frota da Ethiopian Airlines no ano passado. Outro avião do mesmo modelo esteve envolvido em um acidente 5 meses atrás, quando um avião da Lion Air caiu no mar próximo à Indonésia com 189 pessoas a bordo.

A Ethiopian Airlines tem voos para muitos destinos na África, o que a torna uma empresa popular em um continente onde muitas companhias fazem voos apenas de seus países para destinos fora da África.

Ela tem um boa reputação em relação à segurança, apesar de um de seus aviões ter caído em 2010 no Mar Mediterrâneo logo após deixar da cidade de Beirute, no Líbano. O incidente matou as 90 que estavam a bordo.

Fonte: G1 - https://g1.globo.com/mundo/noticia/2019/03/10/aviao-com-mais-de-100-a-bordo-cai-no-trajeto-entre-a-etiopia-e-o-quenia.ghtml

Recomendado para você pelo google

SERVOS DE DEUS

VÍDEO: Programa Mensagem de Esperança reflete sobre a filiação divina e o exercício da mediunidade

SUCESSO

VÍDEO: Programa Acústico Diário recebe o cantor cajazeirense Fabinho Mendes com os sucessos do momento

VÍDEO

Corpo jovem desaparecida é encontrado em avançado estado de decomposição; amiga fala da relação com o ex

AO VIVO

ESPECIAL: Sessão da Assembleia Legislativa do Estado da Paraíba em Cajazeiras – 156 anos