header top bar

section content

Procon da Paraíba informa os direitos do consumidor mediante troca durante Black Friday

As informações são baseadas nos artigos do Código de Defesa do Consumidor (CDC).

Por Campelo Sousa

29/11/2019 às 09h45

Promoções da Black Friday são iniciadas em toda a PB

Com a chegada da Black Friday nesta sexta-feira (29), a Autarquia de Proteção e Defesa do Consumidor da Paraíba (Procon-PB) orienta os consumidores que compraram algum produto durante o saldão de ofertas, mas se arrependeram por algum motivo. As informações são baseadas nos artigos do Código de Defesa do Consumidor (CDC).

+ Em Sousa, Polícia Militar dá dicas de segurança para consumidores durante as compras na ‘Black Friday’

É importante começar informando que nem todo tipo de troca é um direito assegurado por lei. Os direitos do consumidor que compra produtos da Black Friday são os mesmos dos clientes que compram produtos fora da promoção, inclusive a troca por defeito. A empresa só fica isenta de sanar o estrago quando informa, no ato da venda, o problema e o registra por escrito, de preferência na nota fiscal. Esta, por sua vez, deve ser guardada e, caso houver extravio, o que a loja pode fazer é emitir uma declaração de compra contendo os dados da nota.

O Procon-PB recomenda ainda que, antes de fazer qualquer comparaibapra, o cliente deve perguntar sobre a política de troca do estabelecimento. Se a loja for física, a troca não é obrigatória por motivo de cor, tamanho ou gosto, caso o produto esteja em perfeito estado. Normalmente, as lojas oferecem a opção de troca, mas é importante esclarecer que se trata de uma mera cortesia, gentileza do estabelecimento, política do bom relacionamento entre comércio e consumidor, para agradar o cliente e tentar nova venda. Caso a compra for pela internet, o cliente tem 7 dias, a partir da data de entrega, para devolver o item por não ter gostado, por não ter sido como estava na foto ou por não servir. Não pode ter custo para o consumidor, o dinheiro deve ser devolvido e não pode ser em forma de vale-compras.

A troca pode ser obrigatória se o produto for entregue com defeito. Mesmo assim, o fornecedor não é obrigado a efetuar a troca imediata de um produto defeituoso. A garantia legal prevê que a empresa tem 30 dias a partir da data da compra para resolver o problema de produtos não duráveis, como alimentos e roupas, e 90 dias para produtos duráveis, como eletrônicos. Por isso, é importante que o consumidor tenha um documento contendo o dia em que a reclamação foi feita.

Somente depois de tal prazo é que o consumidor poderá escolher as seguintes opções: troca do produto por outro equivalente, ou, compra de outro produto com abatimento do preço já pago, ou, devolução da quantia paga, monetariamente atualizada. A troca imediata só deve ser feita se o defeito for em produto essencial ou afetar parte essencial do produto no caso de uma Geladeira, por exemplo, de acordo com o artigo 18 do CDC.

Caso haja dúvidas ou queira mais informações, ligue 151 gratuitamente.

PORTAL DIÁRIO

Recomendado para você pelo google

ESPORTE E EDUCAÇÃO

VÍDEO: Colégio Nossa Senhora do Carmo, em Cajazeiras, encerra o ano letivo 2019 com Olimpíadas Internas

ORÇAMENTO DEMOCRÁTICO

VÍDEO: Conselheiros do OD se confraternizam em Cajazeiras e já iniciam debates sobre as ações para 2020

EDUCAÇÃO E EMPREGO

VÍDEO: Mensagem Empresarial recebe coordenadora e estudantes do Núcleo de Empregabilidade da FSM

MISSÃO CUMPRIDA

VÍDEO/FOTOS: Prefeito encerra aniversário de Santa Helena com mais inaugurações e shows em praça pública