header top bar

section content

Polícia Civil dá sua versão sobre confusão que envolveu delegados e advogados em delegacia da PB

Segundo a nota, procedimento de investigação ainda trará esclarecimentos sobre a verdade dos fatos

Por Jocivan Pinheiro

27/09/2020 às 13h21

Central de Flagrantes, no bairro do Geisel, em João Pessoa (Foto: Reprodução/TV Cabo Branco)

A Polícia Civil da Paraíba divulgou uma nota à imprensa dando sua versão a respeito da confusão que aconteceu na Central de Polícia Civil de João Pessoa, na noite de sexta-feira (25), envolvendo delegados e advogados durante a prisão de um homem suspeito de tráfico de drogas.

Segundo a nota, três advogados foram autuados pelos crimes de injúria, desobediência, difamação, desacato e lesão corporal, mas “os esclarecimentos sobre a verdade dos fatos serão advindos do devido procedimento de investigação criminal rotineiro”.

VEJA TAMBÉM

Vice-presidente da OAB-PB se solidariza com advogados agredidos durante confusão filmada ao vivo

Leia a nota da Polícia Civil

A Polícia Civil da Paraíba informa que adotou todas as medidas previstas em lei para esclarecer a situação ocorrida na madrugada deste sábado (26) na Central de Polícia Civil de João Pessoa, no bairro do Geisel, nesta Capital, que envolveu advogados e policiais civis. Os procedimentos adotados foram acompanhados por membros da Corregedoria da Polícia Civil e da Secretaria de Segurança e Defesa Social e por representantes das comissões de prerrogativas da Ordem dos Advogados do Brasil.

Três advogados foram autuados por prática de crimes de injúria, desobediência, difamação, desacato e lesão corporal, cujos os esclarecimentos sobre a verdade dos fatos serão advindos do devido procedimento de investigação criminal rotineiro, respeitadas todas as etapas do sistema de justiça criminal brasileiro.

A Polícia Civil da Paraíba mantém uma parceria salutar com a advocacia e com a OAB, instituição a qual respeita e considera imprescindível à efetivação do Estado democrático de direito. Para a Polícia Civil, o diálogo e a urbanidade devem pautar as relações institucionais para melhor solucionar a atuação de todos.

A Polícia Civil ainda esclarece que o compromisso da Instituição e de seus policiais civis, dentro desse mesmo Estado democrático de direito, é cumprir os preceitos legais no enfrentamento à criminalidade e à proteção da população paraibana, não se furtando à devida autuação policial de qualquer pessoa que cometa crimes.

Os advogados autuados foram liberados, sem o pagamento de fiança, em decorrência do art. 7o do Estatuto da Ordem de Advogados do Brasil (OAB).

Todos os procedimentos legais adotados ocorreram em total obediência às legislações vigentes e foram comunicados ao Ministério Público da Paraíba e Poder Judiciário.

A Polícia Civil da Paraíba reafirma seu compromisso com o cumprimento das leis e integração com as instituições que defendem a Constituição. Os fatos ocorridos serão devidamente apurados pela Corregedoria a fim de esclarecer as circunstâncias e analisar se houve alguma falha funcional por parte de algum servidor da Instituição. A Polícia Civil da Paraíba não compactua com práticas criminosas.

Por fim, a Corporação assegura que o ocorrido se trata de um caso isolado e que não condiz com o histórico de harmonia, bom relacionamento e colaboração mútua que a Polícia Civil mantém com a advocacia paraibana.

Assessoria de Imprensa. Polícia Civil da Paraíba

PORTAL DIÁRIO

SUPERAÇÃO

VÍDEO: Apresentador vence a Covid-19, recebe alta do HRC e tem reencontro emocionante com a família

ASSISTÊNCIA MÉDICA

VÍDEO: Bioquímico explica impasse com planos de saúde na realização do teste para coronavírus

SAÚDE

VÍDEO: Candidato oposicionista lamenta falta de ações contra o coronavírus em Aparecida

ELEIÇÕES 2020

VÍDEO: Candidato de Aparecida critica ‘comunista’ por proposta de construção de Santuário

Recomendado pelo Google:
error: Alerta: Conteudo Protegido !!